Os primeiros anos

A idade média. Não a meia-idade. Estamos falando do período de tempo em torno de 700 AD, um pouco antes da invenção da eletricidade e do aparelho de fax. Era nessa época que os Vikings percorriam o mundo. Bem, pelo menos a parte do mundo que eles poderiam facilmente chegar e conquistar tendo pouco ou nenhum problema.

The Sea Stallion from Glendalough
The Sea Stallion from Glendalough

Alguma vez você já teve que se apressar pelas ruas do centro para chegar ao trabalho e conseguiu passar por todos os sinais verdes, acelerando sua ida ao escritório? Pois bem, os Vikings tinham praticamente o mesmo sucesso sempre que invadiam uma aldeia ou território próximo. Na verdade, eles ficaram tão bons nisso que alguns lugares alvos foram atingidos anualmente.  O que eventualmente ficou conhecido como "A Semana da Incursão Anual (The Annual Raid Week)”, onde praticamente tudo à vista era aniquilado, as riquezas eram coletadas - juntamente com a comida - e os Vikings, porque podiam, comemoravam com festas ainda mais longas.

A eficiência utilizada em cada uma dessas incursões, onde praticamente nada respirando permanecia em pé, levou uma empresa de produtos de controle de pragas a usar a palavra "incursão (raid)" em seu produto mais popular. Mas os Vikings eram do tipo decente. Eles não atacavam apenas por querer, nem fizeram isso porque a noite de terça era uma noite ruim na programação da TV. Por consequência da cultura viking que conscientizou que os homens tivessem várias esposas (traduzindo: muitas), significava que a população viking estava explodindo. Para manter as bocas famintas alimentadas, as esposas cobertas de joias e as despensas abastecidas com mais que o suficiente de carne de javali e arbustos, as incursões eram mais uma necessidade do que um passatempo.

Um fato importante sobre os Vikings, que de alguma forma se perderam na história, era que eles também eram muito inteligentes nos negócios. Se você realmente quisesse, sem desrespeito com a parte asiática do mundo que na época não existia no sistema de GPS dos Vikings, você poderia chamar os invasores escandinavos (Dinamarca, Noruega, Suécia) como os primeiros empreendedores. Eles arquitetaram algumas trocas incríveis com compatriotas vizinhos por comida, escravos e até alguns bebês. É claro, os Vikings estavam negociando com os itens coletados nas incursões, mas ei, achado não é roubado, certo?

Os Vikings continuaram a aprimorar suas habilidades comerciais e logo começaram a controlar as principais rotas comerciais da região. Uma rota lucrativa passou por muitos países europeus até o Ocidente e para as áreas orientais, incluindo à Rússia e ao território islâmico e circulava de volta pelo Mar do Norte. Imagine as tarifas de pedágio e de serviços que uma pessoa teria que se matar para pagar para poder atravessar pelos pontos de inspeção dos Vikings. O que também abriu as portas ao tráfico de escravos. Curiosamente, com respeito aos outros que não foram invadidos como os Vikings, eles perceberam o valor da vida humana quando esta se tornou uma mercadoria que poderia ser trocada por bens, armas e qualquer outra coisa que pudesse ser adquirida. As esposas dos vikings, no entanto, eram um tipo diferente de propriedade, isenta de direitos comerciais.

Não demorou muito para que os Nórdicos percebessem como os Vikings se tornavam melhores e, ao invés de serem repetidamente derrotados por eles na temporada de incursão anual, eles chegaram a um acordo. Os dois lados uniram forças e entraram no que foi discutível a primeira parceria de contrato de negócios no mundo. Naturalmente, os Vikings viram uma oportunidade com os Nórdicos de aliviar a carga invasora e assumir grande parte do trabalho pesado. A parceria foi bem sucedida e continuou durante séculos, se tornando a parceria registrada mais longa antes da Idade Moderna. Era uma daquelas parcerias onde os saques não eram divididos uniformemente, porque, vamos encarar, os nórdicos estavam mais ou menos entrando em um bom negócio, evitando serem espancados antes de assinar um acordo de trabalho. Todos pareciam felizes enquanto as incursões continuavam e os Vikings ainda conseguiam a melhor escolha de joias, alimentos, bebês e tudo mais do que foi coletado.

O que fazia uma invasão viking ser bem terrível era o fato de que eles eram astutos e sorrateiros. Como a maioria das aldeias que valiam a pena dizimar estavam localizadas perto de corpos d’água, a equipe viking/nórdica deslizaria para a cidade quietamente pelo mar e atacaria sem aviso prévio. Não havia tempo suficiente para enviar um aviso via Facebook para todos os seus contatos em sua Lista de Amigos para que eles soubessem que os Vikings haviam chegado e não era provável que você "voltasse logo".

Isso nos traz a aproximadamente 1000 AD em nossa linha de tempo com mais a seguir ... mas primeiro:

Coisas que você não sabe sobre Vikings

  1. Eles Cheiravam Muito Bem, Levando Em Consideração

    Não há como escapar do fato de que viver na imundície, incursão, matança e bebedeira vai deixar uma mancha ou outra em suas roupas. Para não mencionar o que acontece com seu corpo por baixo de todas as armaduras e outras coisas. No entanto, antigas ruínas vikings revelaram uma história diferente. As lâminas de barbear, os pentes e os limpadores de ouvidos feitos a partir de ossos de animais indicam que havia um nível de higiene pessoal que outros europeus não haviam adquirido. Na verdade, os Vikings se banhavam pelo menos uma vez por semana e tiveram acesso regular a fontes termais naturais para festas na piscina e encontros sociais massivos onde o odor corporal não estava na lista de convidados.


  2. Atrás De Cada Viking Estava Uma Boa Mulher

    Embora várias das múltiplas esposas que o Viking mediano havia coletado através de incursões e trocas, as mulheres foram tratadas muito bem. Claro, em média, elas se casavam na idade madura de 12 anos e imediatamente assumiam tarefas domésticas já que seus maridos estavam fora em suas aventuras regulares, mas haviam diferenças. As mulheres vikings tinham muito mais liberdade do que a maioria das outras mulheres dos dias. Tanto é que nunca houve necessidade de examinar o histórico de navegação do laptop, caso alguma coisa estranha acontecesse. As esposas vikings poderiam herdar coisas, solicitar divórcios e tinham respeito dentro de sua comunidade.


  3. I-A-I-A-O

    O que pode ser uma grande surpresa para você sobre os homens vikings é que eles não passavam todo o seu tempo invadindo aldeias por riquezas, alimentos e bebês. Na verdade, uma vez que a incursão foi mais ou menos restrita a intervalos de tempo sazonais específicos, eles tiveram muito tempo livre. Uma vez que o Viking mediano era inteligente e empreendedor, a maioria deles passou algum tempo não destinado a incursão cultivando um tipo diferente de riqueza. Eles realmente cultivaram. Uma vez que as despensas da aldeia próxima fossem despojadas e todos os consumíveis fossem bem consumidos, os Vikings tinham que encontrar maneiras para alimentá-los, suas esposas e uma crescente coleção de crianças. A agricultura era a solução lógica considerando a imensa quantidade de terra que esses bandidos habilidosos possuíam. As coisas comumente cultivadas na fazenda Viking mediana incluíam aveia, centeio e cevada. Eles também tinham gado, porcos, ovelhas e cabras e a pequena fazenda típica de um Viking produzia comida suficiente para manter uma família entre as incursões.


  4. Iniciador de Fogo Portátil

    Não pode ser enfatizado o suficiente de que os Vikings eram empresários. Eles foram até mesmo alguns dos primeiros inventores. Um bom exemplo é o produto que produziram, que poderia começar um incêndio onde quer que eles se aventurassem, à destruir uma aldeia ou à criar um churrasco para comemorar a destruição de uma aldeia. O que eles fizeram foi usar touchwood (um tipo de madeira extremamente seca, de fácil combustão). Foi um fungo que veio da casca da árvore, que após ferver por muitos dias na urina, seria batido em uma massa que se assemelhava a feltro encharcado de urina. O nitrato de sódio que veio da urina fez com que o produto fumegasse e, eventualmente, explodisse em chamas. Não tente isso em casa, pessoal.


  5. O Slalom Escandinavo

    Outra invenção interessante datada de pelo menos seis séculos foi uma que permitiu aos Vikings alguma forma de recreação. Sabe, como se as incursões já não fossem mais divertidas o suficiente, os vikings logo se entediaram disso e buscaram outras formas de entretenimento. O resultado disso, e os russos argumentam que eles fizeram isso primeiro na Sibéria, os Vikings criaram o que seria considerado o primeiro esqui. Claro, os ossos e a casca seriam os materiais utilizados, mas nos momentos divertidos durante a temporada de inverno, os Vikings esquiaram. As competições esportivas amigáveis e, às vezes, não tão amigáveis, que rivalizavam com os Jogos Olímpicos do Dia Moderno (e provavelmente os Antigos) menos a política e provavelmente qualquer participante do mundo ocidental. Para completar, os Vikings tinham até um Deus do esqui, conhecido simplesmente pelo nome monossilábico de Ullr.

Há mais por vir ...

Esperamos que você esteja gostando desta atualizada História dos Vikings como você jamais ouviu antes. Está longe de terminar, pois há muitos territórios a serem cobertos para trazê-lo ao longo da vasta história da Idade Média até hoje. Fique ligado para mais!

Sinta-se livre para compartilhar seus pensamentos nos comentários abaixo.
Se você achar isso interessante, sinta-se livre para compartilhar com os outros.
Se você quer saber mais sobre mim, por favor, leia o Sobre mim 
Se você quiser mais destes, você pode me seguir no Facebook, ou participar da Lista de e-mails
Obrigado pelo seu apoio